10 de Outubro, Dia Europeu contra a Pena de Morte



D0 site do Conselho da Europa.

Comentários

Anónimo disse…
Porque não Dia Europeu contra o desemprego?

Estas iniciativas são para atirar areia ao pessoal.
Anónimo disse…
SOU CONTRA A PENA DE MORTE, mas sou muitíssimo a favor do cumprimento efectivo de penas, sem quaiquer tipo de reduções ou outras artimanhas que se arranjem pelo caminho para diminuírem a pena dos "coitadinhos". Amigos, alguns dos que estão lá dentro só de olhar só para eles e sabendo porque ali estão, é um aperto no ... intestino, que não se deseja.
SOU CONTRA, que os detidos que cumpram penas por graves crimes de sangue, usufruam nas suas celas de TV, DVD, Telemóvel, e outras mordomias; as pessoas têm de perceber que "mandaram" alguém para o cemitério, ou que ficaram com lesões irreversíveis para o resto da sua da sua Vida. Recreio, refeitório, cela, tratamentos de saúde, e (ponto final).
Alguém ainda se lembra do CRIME da PRAIA DO OSSO DA BALEIA? Coitado do infeliz (!!!), foi parar à prisão (Coimbra) e lá até ajudou à missa; ah, e parece que efectivamente, só lá "esteve" 12 anos.
Um "senhor do crime" que até deu entrevistas nos jornais de seu nome (Manuel "Alentejano"), quantos não mandou para o ... outro lado?. E etc, etc.
Pela 1ª vez afirmo princípios intrinsecos meus: NÃO SOU XENÓFOBO OU RACISTA. Agora quem matar, estropiar, ou "marcar", nºao era a morte que se lhe deve dar, mas a ausência de coisas que ele/a roubou a outrém.
Anónimo disse…
Manuel N. B. Forte:
A sua posição é compreensível,mas, a meu ver, unilateral, pois só tem em conta um dos fins das penas: a expiação, ou retribuição do mal cometido. Mas em regime democrático as penas têm também outra finalidade: a reintegração do criminoso na sociedade.Assim, diz o art. 40 do Código Penal: "a aplicação de penas e medidas de segurança visa a protecção de bens jurídicos e a reintegração do agente na sociedade."
Ora infelizmente o nosso sistema prisional falha quase completamente neste 2º aspecto; as nossas prisões são autênticas "universidades do crime": os delinquentes saem de lá piores do que quando para lá entraram.
Anónimo disse…
Caro Dr. António Horta Pinto, bom dia.
Conscientemente sinto ao fazer o comentário que fiz o "inclinei" só para um lado. Sinto que um perigoso/a cadastrado/a (e estão muitos/as nas cadeias Portuguesas), que passe a Vida no crime violento, sinta (!?) assim muita vontade de se integrar no meio exterior à prisão, mesmo apesar do acompanhamento social e psicológico (que acho bem). Também entendo que não deveriam estar misturados com pequenos delinquentes (esses sim, acredito que sejam capazes, repito, quando acompanhados, sejam capazes de se integrarem.
"...os delinquentes saem de lá piores do que quando lá entraram."; por estarem misturados, e por o sistema prisional ser permissivo, sim, como é se compreenda que entre e circule droga numa cadeia? Como é que detidos serram grades, e fazem cordões de lençois, e fogem até de dia?; "as nossa cadeias são autênticas "universidades do crime", permita-me a ideia por estarem os pequenos delinquentes junto com os grandes delinquentes.
Repito a ideia e com ela finalizo este meu comentário de que todos os detidos devem ter direito a recreio, refeitório, cela, tratamentos de saúde, e agora acrescento apoio social e psicológico e (ponto final).
Grato pelo seu eclarecimento, endereço-lhe os meus cumprimentos.
Rui Cascao disse…
Caro Manuel Norberto Baptista Forte:

"Só" 12 anos? Acha que 12 anos é pouco? 12 anos é um 1/5 da esperança média de vida de uma pessoa. Quem seja condenado a uma pena de prisão de duração de 12 anos aos 40 anos, na flor da vida, sai de lá aos 52 anos. Pouco?

Não sei se já alguma vez o senhor entrou no estabelecimento prisional de Coimbra. Eu já, por motivos profissionais. E garanto-lhe que é tudo, menos um hotel de luxo.
Se o senhor considera que uma prisão sobrelotada de 140%, em que os detidos têm que fazer de noite as suas necessidades higiénicas num balde localizado no centro da cela (o balde higiénico), sem qualquer reserva de intimidade, em condições higiénicas duvidosas, se trata de uma mordomia, se não lhe aperta o intestino, estamos conversados. O Sr. por acaso sabe que a tuberculose multirresistente e outras doenças piores grassam pelos ambientes prisionais?

Palpita-me que se calhar Vª Exª ainda pensa que uma boa enxovia, pão e água e uns bons açoites seria o regime penitenciário ideal. Porém estamos no século XXI, na Europa. E ainda é suficientemente mau, para nossa vergonha perante o mundo.
Anónimo disse…
E o Senhor acha que 12 anos é muito?
O Senhor sabe quantas vidas além das que foram ceifadas ficaram alteradas para sempre...A vida que esses jovens ainda tinham para viver, a dor eterna dos seus familiares? o medo por um assassino estar à Solta?
Sabe quais os requintes de malvades com que esse senhor executou algumas dessas vitimas?
Eu sei..Eu Vi...Um familiar meu que tinha sido convidado para uma festa de aniversário foi barbaramente assassinado por esse "monstro".
Também conheço as condições do estabelecimento prisional de coimbra. Prisão Prepétua era a pena, que a nossa moldura penal não prevê mas que, neste casos, deveria ser aplicada.
Concerteza que se fosse um filho seu ou algum familiar não pensaria assim.
P.S_ Não me identifico porque todos os familiares podem ser vitimas de vingança, Sabia...?

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?