Islão - A violenta opressão da mulher

Comentários

Anónimo disse…
Talvez o terrorismo do Islão fundamentalista tivesse começado num outro terrorismo: a criminosa e brutal violência sobre a mulher muçulmana, ainda, nos dias de hoje, exercida em nome de Alá em muitos países islâmicos. E este pesadelo, que atormenta a Humanidade, está bem patente neste vídeo.
andrepereira disse…
CE. É bom que o Ponte Europa se associe à luta pelos direitos humanos, nomeadamente os direitos das mulheres, em todo o mundo. Este vídeo é chocante.
Todavia, por vezes mistura países e culturas. Nem tudo o que aqui está vem do islão. Nem só nos países islâmicos há esta violência. Sinceramente cheira-me a propaganda de guerra americana e israelita, porque tudo exacerba e reduz a um nome: islão.
Há 60 anos havia filmes terríveis sobre outros povos: sobre os judeus, depois sobre os alemães, sobre os japoneses.
Podemos pegar num pedaço da realidade e caricaturá-lo.
Mas nada do que eu disse apaga a vergonha das decapitações, dos apedrejamentos, dos casamentos forçados, da humilhação nas ruas.
Estou solidário com esta luta. Mas acho que este filme pode ser contra-producente.
Anónimo disse…
André Pereira:

É boa a reflexão e melhor o espírito crítico. O espírito misógino não é uma tara exclusiva do Islão.

O judeu agradece diariamente a Deus por ter nascido homem e não mulher.

No cristianismo sabemos bem o desprezo e a negação de direitos que, através da história, sofreu a mulher.

A denúncia do Islão é, a meu ver, legítima mas válida para as três religiões do livro.

Nas aldeias da minha infância ainda havia crimes de honra onde a fé católica e a miséria eram exuberantes.
Anónimo disse…
Ó Esperança e respectivos acólitos:

Será que não têm descernimento mental para perceber que o mesmo se passa em portugal, quando uma mulher GRÁVIDA (isso a vocês não vos diz nada, só as querem abortar) tem que dar à luz na ambulância numa estrada qualquer deste país... Não será também uma forma violenta de opressão da mulher ???????
Anónimo disse…
Caro anónimo:

Não costumo responder às opiniões dos leitores que pouco ou nada têm a ver com o post.

No entanto, pelo carácter reaccionário, insensibilidade perante a violência e aproveitamento político, aqui deixo algumas ideias:

1 - Não sei qual é o mapa correcto hospitalar para maternidades mas sei do que precisa uma maternidade para funcionar com segurança;

2 - Lembro-me das muitas dezenas de «maternidades» fechadas por Leonor Beleza e sei que houve melhorias grandes na baixa de mortalidade materna e neo-natal;

3 - O número e localização das actuais maternidades foram da competência de técnicos de altíssima categoria e de políticos de saúde do gabarito de, v.g., Albino Aroso;

4 - A falta de sensibilidade para o drama que a tradição e os preconceitos religiosos provocam diz muito sobre quem compara o nascimento de uma criança fora da maternidade com a crueldade a que algumas mulheres estão expostas em certas latitudes.

5 - Nestas alturas o anonimato é excelente para não se ser reconhecido na suprema insensibilidade.
Anónimo disse…
Por essa ordem de pensamento, haveria uma maternidade em qualquer localidade. Até na mais escondida aldeola...
Sempre houve partos em ambulâncias (basta lembrar o exemplo do Bombeiro de Odemira que já fez mais de uma centena, e não os fez apenas durante o Governo do Eng.º Sócrates...).
Isto só se tornou "caso" porque a comunicação social (o chamado, e bem, "jornalismo de sarjeta") lhe pegou com unhas e dentes, numa saga populista, alarmista e demagógica.

Tenham mas é tino...
Mano 69 disse…
Que bom que é o Carlos Esperança a compartimentar as coisas.

E na sociedade social democrata como será a vivência da mulher?
Anónimo disse…
Grandes Socialistas...sim senhor! SOCIAL ONDE ESTÁ? Quando Leonor Beleza o fez, todos os socialistas, e muito bem, lhe cairam em cima! Agora tudo o que um tal de "engenheiro", faz, faz bem feito!

Vocês fazem-me lembrar aqueles tipos que defendem com unhas e dentes a TMN, outros a Vodafone e ainda outros a OPTIMUS! São tão palermas que não vêm que as operadoras lhes levam o dinheiro todo, mas não! o que interessa é defender o que nós temos, ou seja, a nossa rede é a melhor do mundo! estamos tão cegos que não conseguimos ver o que está mesmo na frente dos nossos olhos!

Isso mesmo, continuem...força !
Anónimo disse…
Comparar assuntos delicados e de extrema importância ao nível humano e social com... redes de telemóveis, é muito socialista.
Anónimo disse…
Anónimo Ter Out 30, 12:10:00 PM

Não deve ter reparado que quem comparou o drama da opressão das mulheres com as redes de telemóveis não foi um socialista, foi talvez um correligionário seu.
Anónimo disse…
que baixo nível...
vejam o filme e pensem durante uns segundos...

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?