Argentina - Eleições presidenciais.


Os números provisórios asseguram que a senadora e primeira-dama, Cristina Kirchner, será a presidente da Argentina nos próximos 4 anos.
Os partidos opositores denunciam numerosas irregularidades mas a percentagem de 46% garantem-lhe fortes probabilidades de receber a investidura das mãos do marido.

Comentários

e-pá! disse…
Impressionante esta particularidade que a Argentina tem mostrado, na história contemporânea, uma especial filia por este tipo de "concubinato político-afectivo" e, no fundo, dinástico.
Um sistema que vai cravar os seus alicerces na alcova.

O problema foi Carlos Saúl Menem que, durante o mandato, provocou conturbações na sua relação conjugal, desfez a alcova e, vai daí, não teve a "sua" candidata.
Pelo contrário, "arranjou" na sua ex-companheira uma feroz adversária política.

Há na vitória de Cristina Kirchner um forte odor peronista, muito revivalista e muito saudosista do que poderia ter sido, mas não foi, a saga de Evita.

Na Europa sempre tivemos dificuldade em compreender o peronismo. Um regime, na sua essência, populista, que juntou à volta do Partido Justicialista, a Igreja, o Exército e um poderoso movimento sindical.

Não concebemos o "justicialismo" como uma doutrina política, económica e social. Está fora da nossa cultura política.

Mas não há dúvida que, este justicialismo, domina a cena política argentina.
Anónimo disse…
Os grandes negócios, e a política é um grande negócio,fazem-se à mesa e na alcova.
Independentemente dos seus méritos políticos, e do "forte odor peronista" que esta sucessão exala, temos, pelo menos, a nosso favor a beleza de Cristina Kirchner. Talvez este seja o ingrediente necessário para humanizar a cena política, desde que não se resvale para a pura demagogia populista.
Também eu me interrogo se nós, como europeus, conseguimos entender o povo argentino, temperalmente latino em todas as suas expressões.
Anónimo disse…
Ainda há pouco tempo li aqui qualquer coisa de que era uma gaja boa, que o Esperança não gostava disso... a verdade é que, ao apagar a mensagem que li amigo esperança, acaba por dar razão a esses tipos!
Anónimo disse…
Anónimo Seg Out 29, 10:37:00 PM:

Provavelmente o comentário que refere era seu.

Pode colocá-lo no «espaço dos leitores».

Era completamente alheio ao post. Quanto ao insulto pessoal, pode repeti-lo. Estou habituado e nunca os apago.

Os insultos ou acusações torpes dizem muito de quem as profere e pouco sobre quem recaem.
Anónimo disse…
A gaja é mesmo boa! Podes apagar Esperança... mas que é boa é !
Anónimo disse…
Onde isto chegou!

Primeiro o Chile, e agora isto!

Só mulheres, e ainda por cima esquerdistas, a assumirem o poder.

Depois admirem-se com o rumo que o mundo leva...
Anónimo disse…
Algures na América do Sul ...
Anónimo disse…
É de gajas que o nosso país precisa.. ou melhor é de gaja que o nosso "engenehiro" precisa !

eheheheh

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?